CADÊ A PROPOSTA FENABAN? Números comprovam que aumento real é possível

Publicado em 31/07/2018 15:34

Os números comprovam que os bancos podem oferecer aumento real aos trabalhadores. Em 2017, os cinco maiores (Itaú, Bradesco, Santander, BB e Caixa) lucraram, juntos, R$ 77,4 bilhões, crescimento de 33,5% em relação a 2016. Só no primeiro trimestre deste ano, os mesmos cinco já atingiram R$ 20,6 bi em lucro, 20,4% a mais do que no mesmo período de 2017.

Santander e Bradesco já anunciaram seus resultados do primeiro semestre e mantêm tendência de alta: o lucro do Santander cresceu 27,5% (R$ 5,9 bi) e o do Bradesco aumentou 9,7% (R$ 10,2 bi).

“Mesmo diante de uma das maiores crises, os lucros dos bancos é cada vez maior. Portanto, podem valorizar seus empregados. Aumento real de 5%, ainda é pouco, diante do trabalho e da dedicação dos bancários, muitas vezes chegam a exaustão e perdem a saúde para atingirem as metas estabelecidas pelos bancos, que só se preocupam e aumentar os seus lucros”, destaca o presidente do Sindicato dos Bancários de Mato Grosso (Seeb/MT), Clodoaldo Barbosa, lembrando que a categoria espera que seja apresentada uma proposta, amanhã, quarta-feira (01.08), na mesa de negociação que acontece em São Paulo.

Nesta quarta, 1º de agosto, a última mesa agendada debaterá as cláusulas econômicas. “Esperamos que a Fenaban realmente traga uma proposta digna para a categoria”, ressalta o presidente do Seeb/MT e um dos membros do Comando Nacional dos Bancários.

O presidente do Seeb/MT ainda pede que a categoria atenta e mobilizada para defender todos os direitos contidos na  Convenção Coletiva de Trabalho (CCT).  A nova lei trabalhista acabou com a ultratividade, princípio que garantia a validade de um acordo até a assinatura de outro. .

Negociações específicas com BB e Caixa

Paralelamente às rodadas de negociação com a federação dos bancos  que discutem a pauta geral da categoria para renovação da Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) -, os representantes dos bancários do Banco do Brasil e da Caixa Econômica Federal realizam mesas de negociação com as direções dos respectivos bancos (abaixo links e vídeos sobre mesas do BB e da Caixa) para debater as pautas específicas dos trabalhadores de cada uma das instituições financeiras, para a renovação dos respectivos acordos coletivos aditivos à CCT.

A quarta mesa com a Caixa será no dia 2 de agosto, e voltarão a ser debatidos os temas relacionados ao Saúde Caixa, o fim do descomissionamento de gestantes, garantias contra as ameaças da nova lei trabalhista, PLR e PLR Social. A quarta mesa com o Banco do Brasil será no dia 3 de agosto e discutirá cláusulas econômicas.

Com informações do Bancários de SP