Sindicato protesta hoje contra fechamento de agência bancária

Publicado em 10/04/2019 18:17

Agência 8269 do Banco Itaú, que fica localizada na Avenida Amazonas, em frente a Praça dos Carreiros, será fechada ainda esta semana.

Patrícia Cacheffo – A Tribuna MT

Rondonópolis MT – O Sindicato dos Bancários de Rondonópolis realiza hoje (10) um protesto contra o fechamento da agência 8269 do Banco Itaú, que fica localizada na Avenida Amazonas, em frente a Praça dos Carreiros. Depois de 29 anos de funcionamento no mesmo prédio, o banco optou pelo fechamento das portas da agência, alegando “reestruturação”. A expectativa é que, a partir de sexta-feira (12), a agência do Banco Itaú não receba mais os clientes, que serão remanejados.

O Sindicato discorda da decisão e prevê precarização do trabalho e transtornos para os clientes devido a essa mudança. “Nós iremos realizar um ‘velório’ por causa desse fechamento, porque não vemos razão para essa isso. É uma agência que sempre está cheia, tem lucratividade e não tem, atualmente, justificativa para esse fechamento”, disse o presidente do Sindicato, Luiz Carlos Morais Delgado.

Em visita ao A TRIBUNA, além do presidente, estiveram também os integrantes da diretoria Almir Araújo, Rogério Lopes e Amarildo Ferreira dos Santos. Na visão dos sindicalistas, a agência não é deficitária e o banco não passa por nenhuma crise, já que os dados dos últimos anos mostram lucros exorbitantes. “Querem ter mais lucro ainda sobrecarregando o trabalhador e precarizando o atendimento. Eles pretendem diluir todos os clientes da agência nas duas outras unidades de Rondonópolis, as deixando ainda mais sobrecarregadas. A princípio não falam em demissões, mas em distribuir e transferir funcionários. Sabemos bem que em breve isso pode acontecer, é a tendência”, reforçou Almir Araújo.

Para o Sindicato, a superintendência estadual do banco informou que o fechamento segue uma linha de ações que acontecem a nível nacional, com as novas formas de comunicação e atendimento, sendo automatizados, o que implica na redução dos espaços físicos e ampliação do espaço online. Porém, em uma cidade com mais de 220 mil habitantes e com apenas três agências do banco, o fechamento de uma pode provocar aglomeração de clientes nas outras. “É uma situação que prejudica os trabalhadores e os clientes, que vão acabar enfrentando uma piora no atendimento”, finalizou Almir.

A situação é semelhante a que ocorreu com o Banco do Brasil, que fechou duas agências de Rondonópolis, na Vila Operária e na Avenida Lions Internacional (para pessoas físicas), distribuindo os clientes entre as agências da Avenida Cuiabá e da Rua Dom Pedro II.