Brasil tem 109 mil casos de Covid-19 e 7.395 mortes, mas número real pode ser maior

Publicado em 07/05/2020 09:44

Brasil tem 109 mil casos de Covid-19 e 7.395 mortes, mas número real pode ser maior

CUT Nacional

O Brasil ultrapassou a marca dos 100 mil infectados pelo novo coronavírus (Covid-19). Já são 109 mil os casos confirmados da doença e pelo menos 7.395 mortes, segundo balanço das Secretarias Estaduais de Saúde divulgado nesta terça-feira (5). No entanto, o número real pode ser bem maior. Há muita subnotificação por falta de exames, demora nos resultados e pessoas morrendo em casa com diagnóstico de problema pulmonar.

Correndo contra o avanço da doença, vários estados endureceram as medidas restritivas para conter a disseminação da doença, como é o caso do Maranhão que, nesta terça, determinou o lockdown, bloqueio total da capital e três cidades da Região Metropolitana de São Luís.

No Pará, onde o governador Helder Barbalho também analisa a adoção do confinamento obrigatório, os leitos das Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) de Belém estão quase todos lotados e o Estado já registra 4.262 infectados e 344 mortos.

O afrouxamento da quarentena em Santa Catarina, depois da reabertura dos comércios, fez os casos de Covid-19 disparar. O estado tem 2.623 casos confirmados e 55 mortes. Em 46 municípios a situação é de emergência, segundo um levantamento feito pela Federação Catarinense de Municípios (Fecam).

Uso obrigatório de máscaras no Estado de SP e bloqueio na capital

Estado mais afetado pela pandemia, em São Paulo o número de mortes por coronavírus subiu para 2.654 nesta segunda-feira (4), segundo a Secretaria Estadual de Saúde. No total, já são 32.187 casos confirmados da doença.

A média de mortes cresceu 280% no último mês. Na última semana, a média foi de 118 óbitos por dia. Um mês atrás, a taxa era de 31 mortes confirmadas diariamente.
O governador João Doria (PSDB) anunciou, nesta segunda-feira (4), que decretará a obrigatoriedade do uso de máscaras nas vias públicas de todo o estado a partir da próxima quinta-feira (7). Segundo ele, a medida será aplicada para qualquer pessoa que esteja “caminhando ou andando ou se dirigindo a qualquer local no estado”.

A regulamentação das sanções a quem descumprir a determinação será feita pelas 645 prefeituras, que definirão como será feita a fiscalização e quais serão as punições para quem descumprir as regras.

Para conter a circulação de veículos na capital paulista, a prefeitura de São Paulo ampliou os pontos de bloqueio na cidade na manhã desta terça-feira (5). Apenas a faixa de ônibus estará preservada para os coletivos, viaturas em serviço e prestadores de serviço da área da saúde.

O objetivo da ação, de acordo com a prefeitura, é estimular a população a aderir ao isolamento social e impedir o avanço do novo coronavírus.

Pesquisa “Viver em São Paulo – Especial Pandemia”, a Rede Nossa São Paulo mostra que 68% dos paulistanos apoiam as ações do governador de São Paulo, João Doria (PSDB) e do prefeito Bruno Covas (PSDB), no combate à pandemia.

Manaus no epicentro da crise

Um dos estados que chama mais atenção e preocupa as autoridades da saúde é o Amazonas que atravessa uma grave crise no sistema de saúde e nos serviços funerários que beiram o colapso, especialmente na capital Manaus.

O número de mortes disparou em Manaus desde o início da pandemia. Com mais de 559 novos casos confirmados de Covid-19 em 24 horas, o Amazonas atingiu 7.242 casos da doença e 584 mortes.

Em uma semana, os casos confirmados do novo coronavírus do estado aumentaram 58,2%.