CUT-DF denuncia Banco do Brasil por atacar liberdade de organização sindical

Publicado em 13/01/2022 16:38

Nota da CUT-DF

A direção da CUT-DF repudia veemente os ataques à livre organização sindical orquestrados pela direção do Banco do Brasil. Descumprindo de forma explícita o Acordo Coletivo de Trabalho (ACT), a direção de pessoas do BB tenta impedir a liberação de delegados sindicais e travou, inclusive, o envio dos pedidos de dispensa às respectivas unidades. E, mesmo com a intervenção do Sindicato dos Bancários de Brasília para reverter a situação, o BB manteve a medida.

A liberação do delegado sindical está prevista na Cláusula 26 do ACT dos funcionários do BB, que assegura até dez dias úteis por ano ao representante eleito de ausentar-se das suas atividades no Banco para o exercício da atividade sindical. Vale lembrar que, desde 2003, quando a cláusula que trata dos direitos e deveres dos delegados sindicais foi conquistada em ACT, essa é a primeira vez que o ataque à liberdade sindical ocorre.

É importante destacar que a tentativa de enfraquecimento da atuação sindical acontece em um movimento de grandes ataques às organizações sindicais em todo o país e sob um Governo Federal totalmente antidemocrático. Desde que assumiu o governo em 2018, Bolsonaro não tem medido esforços para debilitar os sindicatos e os direitos da classe trabalhadora ─ já fragilizados pela nefasta reforma trabalhista do governo golpista de Michel Temer.

Impedir que delegados sindicais sejam liberados para exercer a atividade sindical é travar a luta por direitos. Ao impor essa medida esdrúxula, o BB impede que haja fiscalização às diversas denúncias de metas abusivas, sobrecarga de trabalho e outros casos de desrespeito ao trabalhador. Não  aceitaremos!

Seguiremos lutando pela liberdade de organização sindical e pelo fortalecimento das entidades sindicais ─ principais instrumentos de luta e defesa da classe trabalhadora. Lutaremos ainda para que a liberdade sindical seja tratada como um direito fundamental e ações antissindicais como essas não ocorram em nenhuma instituição, seja pública ou privada.

Brasília, 13 de janeiro de 2022

Direção da Central Única dos Trabalhadores (CUT-DF)

#BBRespeiteOsFuncionários